top of page
Buscar

ESPIRITUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES: Além de Sentido e Propósito


Religious Freedom & Business Foundation. Adapted from McKinsey & Company


Recentemente, em um webinar no qual abordei o "novo" modelo de liderança, um dos pilares discutidos foi o bem-estar. Incluí nesse pilar a segurança psicológica e saúde mental, física e espiritual. Para minha surpresa, o que chamou a atenção foi a saúde espiritual e o que ela representa nas empresas, bem como a maneira pela qual um líder pode cuidar dessa dimensão do bem-estar.


Quando falamos de espiritualidade, a primeira distinção que precisamos fazer é que espiritualidade e religião são coisas diferentes. A espiritualidade vai além da religião e da afiliação religiosa. É uma qualidade intrínseca que busca inspiração, reverência, admiração, significado e propósito na vida.


De acordo com um relatório da McKinsey, a saúde espiritual é tão importante quanto a saúde física. O relatório constatou que os sistemas de saúde priorizam principalmente a saúde física, direcionando a maior parte dos recursos para tratar doenças e sintomas físicos. No entanto, a maioria das pessoas reconhece a importância da saúde mental, social e espiritual, considerando-as igualmente essenciais e interconectadas.

Na dimensão da espiritualidade estão: significado e propósito, equilíbrio interior, senso saudável de si mesmo/identidade, esperança, gratidão, apreciação da beleza. Isso foi um alívio para mim, pois de certa forma as organizações e os líderes já vêm abordando componentes da espiritualidade, como significado e propósito, que têm sido trazidos à tona e debatidos.


Segundo Danah Zohar, autora do livro QS: Inteligência Espiritual, a inteligência espiritual, ou SQ (do inglês Spiritual Intelligence), é a base necessária tanto para o QI (inteligência racional) quanto para o QE (inteligência emocional); é a nossa inteligência fundamental. Essa é a inteligência com a qual abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor, a inteligência com a qual situamos nossas ações e vidas em um contexto mais amplo e rico, atribuindo significado. É a inteligência com a qual podemos avaliar que um curso de ação ou um caminho de vida é mais significativo do que outro. As indicações de um alto SQ são: flexibilidade, autoconsciência, capacidade de enfrentar e utilizar o sofrimento, capacidade de enfrentar e transcender a dor, qualidade de ser inspirado por visão e valores, relutância em causar danos desnecessários, tendência a perceber conexões entre coisas diversas, tendência a questionar por quê e se, e buscar respostas, facilidade para trabalhar contra convenções e liderança servidora ("servant leadership").


Importantes organizações, como Google, Unilever e Patagonia, já implementaram práticas que podemos considerar relacionadas a espiritualidade. A Unilever, por exemplo, tem um programa onde ajuda seus principais executivos a descobrirem o propósito pessoal e buscar alinhamento ao propósito da empresa. O Google, por exemplo, desenvolveu um programa chamado 'Search Inside Yourself', que combina a atenção plena, a ciência da inteligência emocional e a teoria da liderança para promover o autoconhecimento, o gerenciamento de emoções e a melhoria das relações interpessoais entre os seus colaboradores.


Iniciar a jornada com um foco em estabelecer um sentido e propósito pode abrir caminho para uma série de outras ações que conduzirão as organizações a um patamar superior, incorporando a espiritualidade. Essas ações terão um impacto positivo significativo na satisfação, bem-estar e engajamento dos colaboradores, resultando em melhorias nos níveis de atração, retenção e desempenho organizacional. Ao promover a espiritualidade no ambiente de trabalho, as organizações impulsionam a colaboração, a inovação e o crescimento sustentável, permitindo que sustentem resultado a longo prazo e prosperarem em um mundo em constante evolução.



23 visualizações0 comentário
bottom of page